morte-subita-jkrowling-capaO pior do ser humano.

Os personagens de Morte Súbita são daquele tipo que, por mais que você queira, você não consegue odiar, porque eles são reais. A história começa com a morte de Barry Fairbrother, conselheiro distrital de Pagford. Barry lutava por Fields, um bairro pobre, permanecer em Pagford, mas a grande maioria era a favor dele ser devolvido à Yarvil, a cidade ao lado. Neste bairro fica localizado o hospital para dependentes químicos, que para grande maioria da população de Pagford, são uma ameaça à paz e harmonia do vilarejo. Resolvi separar por família para ser mais fácil explicar:

Kay e Gaia. Mãe e filha que se mudaram de Londres para Pagford devido ao relacionamento de Kay com Gavin, que trabalha com Miles Mollinson, que entra na disputa para tomar o lugar de Barry no conselho. Miles é filho de Howard Mollinson que é totalmente contrário às ideias de Barry. Howard é casado com Shirley, a velha fofoqueira da cidade e sócio de Maureen, outra velha fofoqueira da cidade. Miles tem uma esposa, Samantha, e duas filhas que não fizeram diferença direta na história.
Simon e Andrew Price, pai e filho que tem um relacionamento difícil, se é que aquilo pode ser chamado de relacionamento. Na família também temos Ruth, mãe submissa e Paul o caçula que mal aparece, e quando aparece, é para levar esporro do pai. Simon é o tipo de pessoa que acha que o mundo gira em torno do seu umbigo e juro que torci para ele morrer, ou ir preso na melhor das hipóteses. Quase junto à família Price, temos a família Wall, devido à amizade de Andrew e Stuart Wall. Adolescente e rebelde sem causa, filho adotado do vice-diretor da escola Colin Wall, o pai da família, que tem problemas psicológicos e a mãe, que também trabalha na escola é a ponte entre os dois. Stuart nos leva à Krystal Weedon, menina problema, que mora em Fields, bairro pobre de Pagford. Filha de Terri Weedon, que é viciada em heroína e irmã de Robbie, garotinho de 3 anos. Kay é a assistente social temporária da família.

Na família Jawanda temos Parminder médica e Vikram cirurgião e seus três filhos, focando em Sukh, a filha do meio. Na escola é a garota estranha, que sofre bullying, é cheia de problemas de auto-estima e tudo mais.

Morte Súbita é contado de forma que mostra vários acontecimentos paralelos, ligados direta ou indiretamente entre si. No geral, eu gostei do livro, o único problema são os personagens, porque todos foram muito bem construídos, por isso mesmo você conhece toda sua personalidade, o que várias vezes me deixou com raiva, ou frustrada, ou chorando.

O livro do começo ao fim é bem parado. Não é de se surpreender, pois é como se você estivesse lendo um relato sobre uma cidadezinha do interior. E é isso mesmo. Temos muitos personagens e é o tipo de história que não dá para se apegar à nenhum. São todos humanos, todos cometem erros humanos e têm problemas com os quais nós mesmos lidamos no dia-a-dia. Neste livro você encontrará de ladrões à estupradores, mas este não é o foco. Eu pessoalmente, senti falta da abordagem política, e olha que nem sou ligada a este assunto (deveria, eu sei), e ao terminar, ficou aquele gostinho de quero mais.

E agora? E as questões políticas? E Fields? Fica em Pagford? É devolvido para Yarvil?



Deixe um comentário