O David Nicholls lançou um livro novo chamado "Nós" e na propaganda diz que se você gostou de "Um Dia", também gostará de "Nós". Bom, eu posso até gostar de "Nós", quero lê-lo, mas não agora. "Um Dia" conta a história de Emma Morley e Dexter Mayhem, duas pessoas completamente diferentes que se conheceram no dia da formatura - 15 de julho. Depois de passarem essa noite juntos, eles se tornam grandes amigos e cúmplices da vida inteira, e nos próximos vinte anos vamos acompanhar um dia na vida de cada um. O 15 de julho. 

Emma é aspirante a escritora enquanto trabalha em um restaurante - trabalho que odeia por sinal, apesar de não admitir (quem nunca?) e mora em um cubículo que aluga no apartamento mal ventilado de uma amiga. Já Dexter é um rapaz de boa família, apresentador de TV, que pega todas. Entre disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas, e tudo aquilo pelo o qual eu e você já passamos ou um dia iremos passar, vemos um relacionamento ser construído e desvendado.


O que isso tudo tem a ver com "Nós"? Eu odiei o final de "Um Dia"! Uma das minhas vontades é desbravar outras histórias de Nicholls, mas toda vez que penso em adquirir um de seus livros, me lembro desse final. Não é como se ele fosse ruim ou mal escrito, ele só é dolorido. E machuca. Emma é uma personagem brilhante e completa, facilmente identificável. Como leitor, você cria um vinculo com a personagem e às vezes sente como se ela fosse uma personificação de sua própria vida. É isso que espero de "Nós". Dexter é um personagem real e humano. Você provavelmente conhece um ou mais Dexters perdidos por aí e se não conhece, vai conhecer. E é isso que eu espero de "Nós". O romance é construído de forma tão sutil que você nem percebe que ele está ali. As relações humanas são das mais reais que eu já encontrei em um livro. O autor sabe contar uma história não tão simples assim de forma simples, sem deixar o leitor entediado. E é isso que eu espero de "Nós". É isso que espero de qualquer livro do autor se esse é mesmo seu estilo de literatura, mas também espero a tragédia e tudo que há de ruim porque foi assim que "Um Dia" terminou e é assim que a vida também chega ao fim - do nada, sem você perceber.


Algum dia eu volto a ler os seus livros David Nicholls, mas por enquanto, me deixa sofrer.

Deixe um comentário