Ou, do dia em que eu percebi que definitivamente preciso praticar exercícios.
Ou, do dia em que eu quase morri jogando Just Dance.

na arte da dança, carlton banks me representa

Tá certo, sobre quase morrer, exagerei. Mas conseguir dançar Toxic por apenas 1:40 foi humilhante. Mesmo que eu estivesse sozinha no quarto de frente para um vídeo no YouTube. Eu não sei respirar. Isso é um fato. Eu não consigo andar daqui no ponto de ônibus, subir várias escadas, correr ou jogar Just Dance sem quase colocar os pulmões para fora. E eu tenho só 21 anos. A que ponto chegamos. Há seis anos eu passava horas pulando por aí e hoje não consigo dar uma de Bey na cozinha sem ficar ofegante. E agora a vontade de ser uma diva do pop me leva ao que eu já estava adiando há tempos: praticar exercícios. 

Era uma vez uma carta de hoje para uma eu do futuro com 31 anos que diz o seguinte: "Esse é seu aniversário de 31 anos e eu espero que você esteja comemorando. E aqui estão algumas coisas que eu espero de você ai, aos 30 e poucos. Exercício: você passou mais tempo falando que ia fazer ballet do que efetivamente fazendo. Foram meses até você comprar a sapatilha e eu espero que ela tenha saído do armário pelo menos uma vez. (Eu ainda não comprei, mas está na lista de prioridades). E nem precisa ser ballet, pode ser qualquer tipo de exercício desde que você faça para não terminar uma velhinha encurvada e cheia das dores. E se você não estiver praticando nada, espero que você esteja ao menos se alongando. E vai aprender a respirar." 

imagem meramente ilustrativa

Claro, esse é só o começo da carta. Quantas vezes você viu a palavra "ballet" aí em cima? Esse é um daqueles sonhos antigos de criança que, mesmo que não dê certo, eu ficarei feliz por ter tentado e vou guardar minha sapatilha com muito carinho. Eu sempre amei ballet. Assistir ballet, brincar de ser bailarina, ficar rodopiando por aí, e claro que depois de adulta eu fiquei meio assim, mas são apenas números. E confesso que desde que coloquei na cabeça que queria fazer ballet, pesquisei várias coisas, lojas aqui na cidade onde consigo comprar minha primeira sapatilha e escolas, e encontrei tudo isso, mas por N motivos, adiei, como sempre. Eu sempre tive uma vontade de movimento, mas não me dou bem com esportes e só de pensar em academia me dá uns tremores. Foi aí que resolvi fazer alguma dança. Isso foi em junho do ano passado. Como eu sei? Porque eu escrevi sobre isso. 

"Resolvi fazer aula de dança porque precisava me exercitar, mas odeio academia e caminhar na praça está fora de questão. Ballet dá um calorzinho no peito, Jazz é uma incógnita e Sapateado me lembra Gene Kelly. Lá no fundo, eu realmente quero fazer Ballet. Gosto de agitar, o Jazz seria ótimo, ou o Sapateado, mas no Ballet parece que me sinto melhor. Se eu quiser agitar, jogo Just Dance (rs)."

Amigos, agora observemos como a vida dá voltas e sempre volta pro mesmo lugar: era sexta-feira, 27 de junho, em um 2014, e eu decidi fazer aula de dança pra sair desse sedentarismo que se instalou sei lá como. Era sábado, 08 de agosto, em um 2015, e eu não consegui dançar Toxic no Just Dance, quando me lembrei disso tudo e resolvi de vez levantar da cadeira - ou cama, como queiram. Agora vai.

4 Comentários

  1. Nunca gostei de academia, então tive que procurar outros exercícios físicos pra me manter ativa e livre das artroses quando chegar na terceira idade. Me encontrei no boxe e na natação, que são as coisas que mais gosto de fazer hoje em dia. Tecnicamente, posso treinar sozinha e ao meu tempo e, pra mim, não tem coisa melhor. Dá uma olhadas em danças de salão ou jazz, quem sabe você cumpre a promessa de aprender a respirar por meio dessas atividades. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além da dança eu já pensei em fazer alguma arte marcial também (Mulan me representa), mas sei que pelo menos pra dançar, não tem como eu não ficar empolgada, então seria o exercício perfeito pra mim! Dançar = vida (era pulmão que me faltava, hahaha).

      Excluir
  2. HAHAHA isso de ficar ofegante por qualquer esforço mínimo é terrível, né? sei bem como é, ando assim ultimamente. uma coisa que fiz (e me dei bem) foi na prática de lutas. eu acabei abandonando por ter ficado bem doente, e ando enrolando pra voltar... mas espero conseguir um dia, haha (dica: quando pegar o ritmo, apenas continue... pq pra voltar é muito pior). sobre dança: acho lindo, mas n tenho jeito pra coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tô entre fazer luta e dança, amo dançar (ficar pulando descontrolavelmente por aí, I mean, até pensei em fazer Jazz invés de Ballet, pensando, pensando...), enquanto isso vou me alongando em casa hahaha :D

      Excluir