Garfos emprestados para um colega de trabalho, a flexibilidade de quando você tinha 14 anos e livros que você realmente não queria na sua coleção. 

O tempo. Os momentos. Principalmente o tempo, não ainda. Os garfos vêm e vão. Você pode comprar outros. E quanto menos garfos, menos sujeira pra lavar. A flexibilidade talvez você consiga ela de volta com um pouco de alongamento, dos pulmões não posso dizer o mesmo. Os livros, você nem queria eles mesmo. Certo, você queria um deles, mas você pode substituí-lo de qualquer forma. Os momentos sempre retornam à mente de tempos em tempos, mas o tempo propriamente dito, ele ainda não volta. E talvez não devesse voltar. O tempo traz consigo ótimos momentos, momentos horríveis também, e momentos nhé, se é que você me entende, mas esses momentos permanecem, e alguns se repetem. O cabelo volta a ser grande, o sorriso volta ao rosto, as lágrimas voltam a secar, a música volta a tocar, e você volta a cantar, mas o tempo nunca vai voltar. 

Estamos cercados de garfos, dores musculares e livros, e também de tempo e momentos, por isso devemos aproveita-los ao máximo, principalmente o tempo que temos pois sabe-se lá se o teremos amanhã.

Uma palavrinha sobre o tempo, e o tempo que perdemos, e as coisas que se perdem com o tempo. Tudo se perde com o tempo e isso é reconfortante e ao mesmo tempo assustador. Por que estou falando do tempo? Não faço a mínima ideia. Aí outra coisa que o tempo levou, os acentos. Alguns deles. Mas os assentos continuam aqui e podemos usa-los a qualquer momento, seja para ver o tempo passar, ou não. Só para descansar as pernas e aproveitar... 

o tempo.



As músicas que você ouvia quando era adolescente, não voltam mais, mas não importa quantos anos você tenha hoje, você ainda sente as mesmas coisas que sentiu quando escutou elas pela primeira vez. Velhos amores não voltam, e o tempo leva todas, ou quase todas, as mágoas. Mesmo que você cante aos pulmões sobre as sete coisas que você odeia sobre ele. E a música continua fazendo sentido tantos anos depois, pois os momentos ficaram. A chance que você perdeu, o tempo levou, mas o tempo voltará com outras chances. O tempo traz novas músicas, novos passos de dança e novos momentos. Mas mesmo assim, algumas músicas nunca saem dos seus fones e você continua colocando elas no repeat mesmo depois de todos esses anos. Mesmo que de vez em quando elas soem estranhas aos seus ouvidos.

2 Comentários

  1. "As músicas que você ouvia quando era adolescente, não voltam mais, mas não importa quantos anos você tenha hoje, você ainda sente as mesmas coisas que sentiu quando escutou elas pela primeira vez." ESSA FRASE! Estava pensando sobre isso outro dia mesmo. Vi uma notícia de que o Evanescence poderia voltar a tocar no Brasil e mergulhada em nostalgia, fui ouvir os cds antigos. E é curioso como as músicas sempre retomam aqueles sentimentos de adolescente, até arrepia. Sou outra pessoa hoje em dia, mas a música sempre tem esse poder de fazer reconectar com o que já fui. Vou ouvir sua playlist agora! Um beijo. (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O poder da música ser atemporal é incrível, espero que tenha gostado das minhas escolhas <3 (aliás, quase coloquei Evanescence na lista!)

      Excluir