Ou: Uma terra mágica chamada Tinder.

Comentei ontem sobre passar parte do dia dando X em rapazes no Tinder, então aqui vai a história toda. Já adianto que isso nada vai mudar na vida de ninguém, então, tá.

Nunca pensei que eu seria o tipo de pessoa que usa aplicativos de relacionamento, mas foi o que aconteceu nessas férias. Dia 30 de janeiro em um momento de puro ócio baixei o aplicativo e entrei no mundo mágico dos X's, dos likes e dos matchs. Confesso que quando a pessoa tem "Harry Potter" como gosto em comum ela já ganha pontos comigo e vou dar uma stalkeada básica antes de decidir se merece meu like ou não. Critérios. De lá pra cá (04 de fevereiro) já passaram as pessoas mais bizarras pela minha tela, uma parte sendo projetos de cowboys, outros boys que foram pra França (parece que todo mundo no Tinder viajou pra fora do país e boa parte foi para Paris [me leva por favor nunca te pedi nada!!!]) e um cara com uma serra elétrica (oi???). Como comentei com um amigo meu, as pessoas por lá precisam ser estudadas. Não conversei com ninguém ainda (04 de fevereiro) e acredito que quando eu voltar pro trabalho essa diversão vai acabar, mas vamos ver no que isso vai dar.

Didn't it all seem new and exciting?

A parte mais legal por enquanto está sendo tomar a iniciativa quando acontece o mágico match. Eu definitivamente não sou a pessoa que chega puxando a conversa na vida real, mas é até divertido apesar de nada efetivo por enquanto. O primeiro eu surtei por não saber lidar com reciprocidade e demorei duas horas pra falar com o rapaz que, ops, unmatch. O segundo não tem senso de humor e não entendeu meu "oi" dado de bom grado com ajuda de um gif do Jimmy Fallon e deu unmatch também (dá pra usar gifs no Tinder gente, melhor parte do app). O terceiro foi meu amigo. Pro quarto mandei um "Olá" básico que está lá até hoje, vida que segue. Pro quinto, o que tinha "Harry Potter" em comum, mandei um gif simpático do Rony e embaixo um "Olá :D", alegre, que pessoa comunicativa, não? HAHAHA, no.

Enfim.

Deixe um comentário