Sinceridade. É disso que Ray Bradbury falou o livro inteiro. Sinceridade consigo mesmo, sinceridade com as palavras. Guardar cada memória vivida e então quando ela quiser explodir, deixa-la vir da forma como quiser. 

Escrever sobre o cotidiano, mesmo que de forma indireta. Escrever sobre si mesmo. Daí lembrei do BEDA que teve em agosto do ano passado que fiquei me coçando para participar mas "de onde vou tirar 31 fucking textos?", daí eu percebi o quão pouco andei escrevendo nos últimos meses e quanto já escrevi só em abril. 

Bradbury fala de não ter vergonha dos velhos textos, e que tudo bem odiar 45 dos 52 que você escreveu em um ano, escrevendo um texto por semana, mas independente disso, é simplesmente continuar escrevendo e transformar quantidade em qualidade - já que o que se espera é que com tamanha prática, seus escritos melhorem com o tempo. 

Uma mistura de experiência pessoal com dicas pontuais (e um pouco de ar de auto-ajuda), saí do livro querendo escrever loucamente e colocar todos os meus sentimentos no papel, dos bons aos ruins, dos melhores aos piores dias. Escrever, olhando assim, é quase um casamento, principalmente quando se escreve sobre a vida real. Na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, a diferença é que nem a morte nos separa de nossas obras.

"E o que, você me pergunta, escrever nos ensina? Primeiro e mais importante, escrever nos faz lembrar que estamos vivos (...)."

« skoob »

6 Comentários

  1. Não conhecia esse livro, mas gente, adorei! Deve ser uma bela motivação, porque a gente realmente não se sente à vontade com muita coisa que escrevemos (eu tenho milhares de rascunhos dos quais tenho vergonha de publicar). Mas concordo inteiramente com a parte que diz: "já que o que se espera é que com tamanha prática, seus escritos melhorem com o tempo." Acho que vou levar isso pra minha vida. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ler textos antigos é a morte, cada coisa que escrevi na adolescência que da vontade de usar aquelas máquinas de MIB pra esquecer. Amei esse livro, queria ter lido a edição física para rabiscar e fazer comentários <3

      Excluir
  2. não conhecia esse livro também. já li Fahrenheit 451 do Ray Bradbury e amei. Fiquei com bastante vontade de ler esse e já foi pra lista 'para ler' <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredita que nunca li a ficção do Bradbury? Eu fico enrolando enrolando e acabei lendo esse livro teórico, que virou uma baita inspiração ^^

      Excluir
  3. Parece ótimo! Eu amo escrever sobre qualquer coisa, mas ultimamente ando nessa de querer procurar sentido em tudo, aí estou escrevendo menos do que gostaria. Adicionei o livro no skoob pra ler no futuro, obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois que li passei a escrever sem parar, é um ótimo empurrão pra quem anda com bloqueio :)

      Excluir