Me reconhecer artista, reconhecer o que eu faço como arte, foi o primeiro grande passo para que eu saísse da inércia e assumisse de vez que eu sou fotógrafa. E viver da arte parece um conceito assustador. 

Não, fotografar não paga minhas contas, ainda, mas isso não quer dizer que nunca pagará, porque pela primeira vez eu quero lutar por essa realidade. E é muito fácil acreditar nisso na tela embaçada do notebook, na verdade o teclado embaçado, porque estou digitando sem óculos. É muito mais fácil acreditar nisso agora, no silêncio do quarto, às 01:39 da manhã quando eu deveria estar dormindo para encarar a vida real amanhã... mas aí percebo que aquela não é minha vida real, é minha vida sim, mas não a real. O que parece fácil agora é um pesadelo encarar pela manhã, porque a vida real que vou levando parece ótima, a ilusão da estabilidade, mas uma ilusão que nunca vai me fazer feliz. Corrijo, era um pesadelo. Agora o que eu mais quero é encarar minha vida real-real. O que tenho hoje é comodidade disfarçada de estabilidade até porque não estou no emprego mais estável do mundo - disse a pessoa que mudou de projeto três vezes, de cargo, duas. 

Se estou me reconhecendo como artista agora, por que esperar o ano todo para começar a investir em mim como carreira? Eu repito mil vezes que é o que amo e faria pelo resto da vida, então por que simplesmente não faço? Medo. Desde criança eu sempre fiz as mesmas coisas: escrevia e fotografava, com uma imaginação bem longe daqui. Fotografar mesmo eu só fui aos 13 anos (antes eu desenhava). Eu sempre fui das artes

"Quem trabalha com artes luta diariamente contra A Patrulha da Fraude, pois nosso trabalho em grande parte é novo e escapa a categorias prontas ou convencionais. Quando se é artista, ninguém te diz como ou bate com a varinha mágica da legitimidade. É você que bate na própria cabeça com uma varinha que você mesmo fez.. E você se sente um idiota ao fazer isso. Não existe o "caminho certo" para se tornar artista de verdade. Você pode achar que vai ganhar legitimidade se fizer um curso de artes, se for publicado, se for contratado por uma gravadora. Mas tudo isso é conversa mole e está só na sua cabeça. Você é artista quando diz que é. E é um bom artista quando faz outra pessoa sentir ou vivenciar algo profundo ou inesperado."

Você é artista quando diz que é. "Você é artista quando diz que é", foi quando li essa frase que percebi que quase tudo que fiz até hoje foi baseado na auto-sabotagem. Eu comecei porque eu quis e fui me podando mais e mais e mais. Já deixei escapar muita coisa. E ao mesmo tempo em que me mutilo de um lado do outro estou criando um site. Quando falamos de arte falamos de sentimento, e é tão difícil falar de sentimento que se torna difícil se dizer artista, porque você nunca sabe quando ou como tocará alguém. E confesso que ter apoio externo foi fundamental. Eu sempre fui impulsiva (precoce), mas de alguma maneira hoje eu penso antes de agir. Não muito, mas penso. Eu ainda tenho mil e uma dúvidas, acho que sempre vou ter, mas dar um passo de cada vez, viver um dia de cada vez, são coisas que estão sendo fundamentais para minha sanidade mental. Perdoa as crises existenciais e não desiste de mim?

"Se ama, volte"

4 Comentários

  1. Que bonito Ludmila, acho que eu também estava precisando dessa frase "você é artista quando diz que é". Não é fácil realmente correr atrás do que a gente ama, tem dias que dá vontade de desistir de tudo, mas aí a gente ama, junta tudo, engole a crise e volta e segue tentando. Em algum momento haverá de dar certo.

    ResponderExcluir
  2. Amei de verdade esse texto e é engraçado eu ter caído de paraquedas aqui logo nessa minha fase em que tenho me sentido mais artista, eu sempre gostei de fotografar, desde pequena mesmo (10 anos, por aí) e meu pai sempre elogiou minhas fotos, cresci e hoje estou investindo nisso não só como um hobby mas como um trabalho em que eu me encontro e amo fazer. Claro, como você disse, não paga minhas contas (ainda), afinal tenho 17 anos, nem saí das fraldas, mas paga um mimo aqui, ajuda num sonho ali, vai pra poupança acolá... enfim, o engraçado é que só agora eu me enxerguei como artista, sabe? Só agora caiu a ficha que PORRA, EU FAÇO ARTE! Eu dirijo vídeos, edito, fotografo gente, deixo a auto estima delas lá em cima, eu escrevo textos no meu blog que as pessoas gostam e acompanham, cara, eu sou uma artista, artista não é só quem pinta, dança ou canta, e a tecnologia envolvida no meu trabalho não tira o meu mérito de artista, entende? AH, QUE DELÍCIA ESSE POST, TÔ MUITO EMOCIONADA, de verdade. Me abraça! <3

    irianneveloso.blogspot

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não sabe o quanto é lindo ler isso! "eu sou uma artista, artista não é só quem pinta, dança ou canta, e a tecnologia envolvida no meu trabalho não tira o meu mérito de artista, entende?" Claro que entendo! Eu só percebi que o que faço é arte, e que eu poderia mesmo fazer disso minha profissão no dia que escrevi esse texto. Antes quando me perguntavam se eu era fotógrafa saía aquele "é" engasgado no meio da insegurança, foi um custo para aprender a falar com gosto e convicção que é isso que eu faço e amo. Abraço <3

      Excluir