Certo dia minha mãe me disse que testava os caras com quem ela namorava por três meses antes de lhes dar um pé na bunda se eles não conseguissem conquista-la. Todo mundo usa três meses como uma média para que se possa conhecer aquela pessoa com quem talvez você construa uma vida no futuro. Mas e quando você simplesmente se esquece disso e percebe que seus três meses estão chegando mais rápido do que você consegue perceber e que na verdade já parecem três anos? E quando os envolvidos gostam um do outro logo de cara e o universo simplesmente conspira para que eles fiquem juntos quase sem esforço? "When you find someone you want to keep around you do something about it", e foi o que fizemos e continuamos fazendo todos os dias e hoje é sábado, 28 de maio, em três semanas completaremos três meses e eu não poderia estar mais certa do quando quero te manter por perto e me deixa mais feliz ainda saber que você quer o mesmo, desde o começo, desde aquele primeiro encontro, atrapalhado, naquele banco desconfortável, naquela praça que agora é nossa, naquele 27 de fevereiro.
Eu não planejei esse texto, acho que é síndrome do domingo, apesar de ser sábado. Me vem a mente conversas que tivemos, segredos que trocamos, reconhecimento de causa e percepção da realidade. Os dispostos se atraem. Claro que a vida precisou mexer uns pauzinhos, mas olhar para trás e perceber que as chances da gente se encontrar eram mínimas, faz tudo parecer maior, e talvez seja mesmo. Eu tenho muita sorte, mas muita sorte mesmo de ter me esbarrado de primeira com você. Permita-me roubar suas palavras só por hoje. Destino? Ou acaso? Já estava escrito que era para ser assim? Foram tantas coisas que me levaram a você. E tantas coisas que te trouxeram até mim. Primeiro eu agradeço ao Joey. E depois as pequenas coisas que se juntaram nessa grande história.
Sábado, 30 de janeiro, uma visita inesperada de alguns parentes. Era meu primeiro dia de férias. Tudo o que eu queria era chegar em casa, tirar o uniforme e me jogar na cama. Mas minha cama estava ocupada, eu não estava muito bem, me enfiei no quarto dos meus pais com o notebook e lá fiquei esperando em vão a casa se acalmar, minha cama desocupar, e num momento de puro ócio entrei no túnel mágico que me levaria até você, eu só não sabia. Eu era Alice caindo pelo buraco do coelho e você estava lá embaixo me esperando. Estávamos traçando linhas paralelas e não sabíamos. Eu estava te esperando esse tempo todo e esperei o tempo necessário para que além de frases no seus status eu também me transformasse em cartas de amor. Nós nos encaixamos nesse grande quebra-cabeça que é a vida. E nossas duas histórias se fundiram.
"A gente não tinha nenhuma possibilidade de se esbarrar por aí, se... se... 0000000000.1% de acontecer, no máximo o que ia sair seria um olhar (...), quando me perguntam como te conheci, ressalto, foi o acaso. O universo conspirou muito a nosso favor, bem, vai lá, merecem ser felizes."

Merecemos. 
E muito.

Deixe um comentário