Hoje me deu vontade de escrever para você, em forma de lembrança e de reviver nossos últimos três meses. Parece que foi ontem que ameaçou tomarmos chuva e sentamos debaixo daquela parada de ônibus onde você me olhou e sussurrou cinco palavras que ficariam para sempre guardadas na minha memória. Era nosso segundo encontro. Passou o resto da semana fazendo sol para que no próximo sábado, quando a gente resolveu passar uma madrugada toda juntos, caísse a maior tempestade daquele mês, e foi a primeira vez que trouxe uma camisa sua para casa desejando que ela se transformasse em você. Então veio o dia seguinte, a outra semana, "só apresentações, ela disse", e numa madrugada cercada de gente você transformou aquelas cinco palavras em três, e eu me entreguei completamente. E a contagem começou oficialmente. 


Essa é uma referência que talvez você não reconheça de imediato, mas tem a ver com meu lado adolescente que fica atrás da porta do quarto. E sigo te escrevendo, às vezes demais, às vezes de menos, mas sempre te mandando o que escrevo. Pela primeira vez me sinto livre para externar todos os meus sentimentos, você me ajudou a ser assim. Eu sempre fui uma negação e guardava tudo para mim, mas agora é diferente; te conto pois sei que não me julga e tenta me compreender, é uma das coisas que mais amo em você. 

Livre, leve, feliz. É assim que você me fez. Todo mundo entra em nossas vidas com um propósito, o seu foi me ensinar a viver cada dia de cada vez, cada hora de cada vez, cada minuto de cada vez. Um passo depois do outro sem tropeçar nas próprias pernas, afinal, a gente nunca sabe o dia de amanhã. E no momento posso estar sendo contraditória pois passei a semana desejando sexta-feira, mas é que algumas semanas são mais pesadas que outras, mas sigo lembrando a mim mesma que hoje é só mais um quinta-feira, 10:23 da manhã, e que tenho que viver o hoje sem esperar o que vem ao meio-dia ou às 18:00, ou às 21:30, preciso simplesmente viver o agora. E o agora é dedicar esse texto a ti como fiz com a maioria dos últimos textos que escrevi.

Com você aprendi a ser espontânea e era uma das coisas que eu mais estava precisando ser. Obrigada.

Deixe um comentário