Nossos domingos são cronometrados como um jogo de futebol e toda vez que o narrador grita "fim de jogo" eu sei que é hora de eu me trocar e dizer "até logo". Eu sempre tento fazer com que esse momento dure mais do que ele sempre dura, mas é inevitável, nosso tchau temporário tem que acontecer e acontece, todo domingo, a partir das seis horas da tarde. 

É fim de domingo e acho que ao vir, seu cheiro fez questão de me acompanhar.

Domingo de manhã é quando eu acordo com os passarinhos para te cantar a mais linda canção de amor. E é onde eu prefiro focar. Minha ideia era te receber sorrindo, mas a surpresa maior veio de você, dois dias atrás. Compartilho a alegria com as nossas borboletas. Domingo de manhã é dia de sentar na cama e te ver dormindo, sonhando com mil e uma aventuras das quais talvez você não consiga se lembrar, ou acordar com você na sala pois foi sua vez de se aventurar nos meus sonhos.

Mas é fim de domingo e a gente só pensa em sexta que vem, acompanhados da notícia de que a gente vai emendar mais um final de semana para chamar de nosso.

Deixe um comentário