É um fato que essa última semana foi bem bosta, pelo menos comparada ao restante do mês. E hoje o Sol entrou oficialmente em Leão, ou seja, teoricamente eu estava no meu inferno astral, porém tirando essa última semana, não tenho nada a reclamar. Na verdade até ando gostando bastante da minha vida (menos a parte de dormir tarde de vez em quando, tipo agora). Isso, essa, é só uma entrada aleatória para dizer que: vem Sol! Chegou a hora de brilhar mais que o normal!

Sim, eu gosto de astrologia.

Hoje é dia 22 de julho e só esse mês meu notebook deu tela azul duas vezes, foi um dos mêsversários mais emocionantes até agora, terça-feira completo invernos, ao mesmo tempo que quero escrever, não quero. Julho está muito, mas muito longo. Achei que ia escrever bastante por ser julho, mas acabei entrando de vez no casulo.

Ando comendo mais empadas do que deveria no trabalho.

Estou com muitas ideias e muitas vontades, mas todas elas estão no papel ainda, mas não quero que nenhuma delas amarelem com o tempo. Não sei. Passei a andar com um caderninho para todo canto, aquilo de querer escrever loucamente, mas nunca tenho tempo - quer dizer, tempo tenho, mas não tenho espaço para escrever já que a vontade só resolve vir quando estou preenchendo uma planilha ou tratando um caso. Minha mente está entediada. Cansada. Preciso recarregar e de preferência no meio do mato.

"Quando aprendemos a dar valor ao que já temos, tudo fica mais fácil. (...). Quando aprendemos a sermos gratos pelo que temos, começamos desenvolver um outro olhar sobre nossas vidas. Tem muitas pessoas por aí com uma vida melhor que a minha? Sim! Mas também tem muitos com uma vida não tão boa. A situação que tenho hoje é o que tenho, e apesar de parecer um tanto conformista, creio que é apenas uma forma de darmos valor ao caminho que já trilhamos e às nossas conquistas."
- Vivendo o momento presente, Camile Carvalho

Nunca me senti tão bem, tão plena em relação a tudo, ao mesmo tempo. Não é sorte. Feliz no amor, feliz no trabalho, feliz com as minhas coisinhas pessoais. Feliz por ter encontrado os clipes de papel coloridos que eu tanto queria - e dessa vez nem estava procurando. Feliz, simplesmente. Parei de ter medo da vibe boa, "bom demais pra ser verdade", e todos aqueles pensamentos pessimistas que costumavam acompanhar bons ventos, simplesmente virei as velas a favor e estou navegando, um dia de cada vez, e saber que não estou sozinha ajuda num passo de cada vez.

Deixe um comentário