Mais um mês se passou, agosto está batendo na porta - bem-vindo ao resumo do mês.

Trinta dias se passaram, no meio deles, quatorze regados a saudade. Em julho nosso quarto mês chegou com uma ligação de 60 segundos no meio do ônibus lotado, comecei minha pulseira de memórias e lembranças e não me arrependo nem um pouco - cada um tem suas prioridades, retoquei o cabelo que estava quase loiro e ficou levemente azulado, o projeto onde trabalho acabou e não sei o que será de mim de segunda-feira em diante, meu fone de ouvido morreu, quero um mouse, finalmente montei a mesa que comprei no mês passado e reformulei o quarto inteiro - um lado para os negócios, um lado para o amor, eu fiz 22 anos.

Fechei mais um ciclo. 2016 tem sido um ano maravilhoso. Meu ano. As coisas estão acontecendo, estão se movendo, o curso que eu iria fazer não aconteceu infelizmente, mas tem tantas outras coisas. Entrei de forma calma nesse novo ano, dando um passo de cada vez. Eu estou bem, me sinto bem, me sinto de certa forma realizada. Posso não saber o dia de amanhã, mas não ligo, simplesmente vivo. Ao mesmo tempo em que a maré parece baixa, ela vem precisa a areia. As ondas quebram quando têm de quebrar. E assim a vida vai e eu vou com a vida, um dia de cada vez.

After Earth (2013), Dead Rising: Watchtower (2015) e Contágio (2011) são bons filmes, finalmente assisti A Quinta Onda (2016) e fiquei com vontade de ler os livros, chorei sem parar nos últimos dezesseis minutos de Como eu era antes de você (2016), me esbarrei com Coração de tinta (2008) na TV e assisti de novo Qual seu número? (2011), e eu só conseguia pensar no Capitão América.

Links do mês:
❤ empada
❤ 1, 2, 3
Por julho, é isso, que venha agosto com mais aventuras, mais leveza, muita calmaria (se é que isso faz sentido falando em aventuras) e muito mas muito menos saudade - só se for saudade boa, daquelas fáceis de matar! 

Deixe um comentário