Seus olhos são profundamente castanhos, suas sobrancelhas parecem que já nasceram prontas de tão perfeitas que são, desenho cada linha do seu rosto em minha mente, e também pessoalmente, te guardando como em uma fotografia. Mas toda vez é diferente, descubro alguma coisa nova, algo que ainda não tinha notado. Uma a uma vou contando todas as suas pintas e brincando de ligar os pontos. Seus lábios são finos e se abrem no sorriso mais lindo que eu já vi, e se encaixam perfeitamente nos meus. E quando você sorri, é um sorriso bem aberto, é um sorriso que contagia, e quando me olha e sorri só de lado, as velhas borboletas vêm me visitar e trazem junto novas amigas. Das sobrancelhas aos seus olhos, pelo seu nariz até a boca, ao contorno do seu queixo, subindo até as orelhas, te desenho devagar, desde o primeiro dia, desde que se entregou ao sono no meu colo pela primeira vez. Sem me esquecer, claro, do seu cabelo que cheira a shampoo e a você. É o seu cheiro. E é quando você vai se aproximando aos poucos que eu vou prendendo a respiração sabendo o que esta por vir, com seu rosto cada vez mais perto do meu vou perdendo o foco e me entregando às sensações, fecho os olhos por ora e começo a te desenhar com as mãos e então essa história se torna só nossa, como sempre foi, e guardamos no silêncio o que não é preciso dizer, vez ou outra claro a gente diz em voz alta, mas a gente já sabe, e naquele momento, um abraço mais apertado, um beijo no ombro ou na testa, ou o encaixe perfeito de nossos corpos falam mais que mil palavras. O resto eu guardo para quarta.

Deixe um comentário