Não me lembro dos meus primeiros passos, nem do meu primeiro choro, nem da primeira vez em que eu caí e me machuquei. Não me lembro qual foi a primeira vez que entrei em contato com os livros, mas alguma coisa me faz pensar que a primeira história com a qual tive contato foi Peter Pan. Não  me lembro qual o primeiro filme que assisti no cinema, ou na vida em geral, minha infância toda é um mistério. Não me lembro qual a primeira música que ouvi no rádio. O primeiro programa que assisti na TV. Não me lembro do primeiro dia na escola, só me lembro que não queria estudar na escola aqui da rua. 

Eu me lembro da primeira vez que criei um blog para chamar de meu. Foi em 2010. Ele ainda existe e completa seu sexto ano de vida. Parte de mim queria tira-lo do privado, a outra parte prefere que ele continue sendo o diário que sempre foi. Ele fez parte da minha adolescência e muita coisa que escrevi quando eu tinha 16 anos não faz mais sentido. Prefiro assim, só meu.

Eu me lembro da primeira vez que notei que não me identificava com nenhuma religião - e escrevi sobre. Eu tinha 16 anos. E também me lembro da primeira vez que fui pesquisar sobre todas as outras que eu não conhecia. E me lembro de quando me esbarrei com a Wicca e como ela foi importante por certo período. Eu devia ter uns 19 anos.

Eu me lembro da primeira vez que passei por um momento muito muito ruim. Parece que 2011 foi ontem. Mas cinco anos se passaram desde então. Eu me lembro da primeira vez que alguém que se dizia amiga me decepcionou. E me lembro da primeira vez que voltei a sorrir de verdade depois de uma maré tão ruim.

Eu não me lembro do primeiro dia de 2014, mas lembro que em 2014 as coisas começaram a acontecer, foi quando eu comecei a viver de verdade. Eu me lembro da primeira vez que me declarei, e não foi bonito. Eu me lembro da primeira vez em que minha mãe disse: "por que você não escreve um livro?", eu tinha 16 anos. Eu me lembro do meu primeiro BEDA. Eu me lembro que 2014 foi um bom ano e 2015 foi um ano melhor ainda - e que 2016 está sendo o melhor de todos.

Eu me lembro da primeira vez que saí como "gente grande" para me divertir e foi o que realmente aconteceu. Eu tinha 18 anos. Eu me lembro da primeira vez que usei meu cabelo natural e percebi que aquela ali era eu de verdade. E me lembro da primeira vez que usei batom, vermelho. Eu me lembro da primeira vez que subi num palco e ali me senti em casa.

Eu me lembro da primeira vez que tentei escrever um livro que está em andamento até hoje.

Primeiro trabalho de verdade, primeiro pagamento pela minha arte, primeira vez que notei que eu era das artes. Primeira apresentação no teatro, primeiro desenho no ensino fundamental, primeira câmera. Primeiro vez que peguei um livro na biblioteca da escola, primeira redação que foi lida em voz alta. Primeira vez que alguém me deu um apoio tão genuíno que eu não poderia estar mais feliz em ser eu mesma.

E eu me lembro de todas as primeiras vezes que 2016 me trouxe. Primeiro encontro, primeiro beijo, primeiro bem-vindo-vinda à família, primeiro texto dedicado e assinado, primeiro contato com músicas que talvez eu nunca fosse conhecer, primeiro namorado, primeiro "mêsversário", a primeira e única vez que tive a chance de cantar 22 e realmente ter 22, primeiro BEDA de-verdade.

A vida é feita de primeiras vezes. Às vezes boas, às vezes nem tão boas assim.

2 Comentários

  1. Que lindo! Que lindo!!! Que 2016 seja mesmo incrível e que te traga muitas primeiras vezes! Mantenha seu blog secreto lá você pode escrever e se soltar e eu tenho certeza que vão ser registros que você vai amar visitar daqui uns anos (perdi todos os meus e mais uma porrada de objetos pessoais e morro de saudade).

    E espero que esse BEDA esteja sendo tão divertido pra você quanto pra mim (porque eu tô amando!).
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô amando esse beda!!!!!!!! Nem me arrependo de não ter participado em abril, que o ano esteja maravilhoso pra ti também <3

      Excluir