Quando a cabeça dói, de tanto pensar, ou tanto escutar, ou tanto existir. Quando a ideia vem. Quando tem aquela inspiração única no dia, quando pega o embalo, escreve um dois três textos de uma vez. Quando está com fome e não consegue pensar em mais nada que não comida, quando está cansado do ambiente e das pessoas e quer fugir do mundo - quando está apaixonado. Um escritor precisa escrever o tempo todo pois essa é sua forma de expressão. Não é falando, é escrevendo. Um escritor precisa escrever quando lhe fazem uma pergunta e ele precisa divagar coisas que ninguém está disposto a ouvir, às vezes nem ele. 

Um escritor precisa escrever quando precisa.

Um escritor precisa escrever quando sente que deixou um texto pela metade naquela tarde de quarta-feira. Um escritor precisa escrever até quando está sem inspiração, é quando a falta dela vira tema de uma crônica que ficará perdida no meio de seus cafés. Um escritor precisa escrever quando ele é escritor, mas diferente dos outros prefere chá à bebida dos apressados. Alguns escritores têm pressa, já outros são a calmaria em texto. Um escritor precisa escrever quando se esbarra com uma folha em branco, acha que ela merece ser preenchida com uma aventura qualquer. Precisa escrever quando sente saudade, e também no reencontro. Sobre o primeiro e o último dos primeiros beijos. Sobre a cor daquela flor na 5ª esquina do seu bairro. E ele escreve tudo de forma detalhada, sem pressa, às vezes até poética.

Um escritor precisa escrever quando se sente escritor, já amanhece no meio das palavras, troca o leite morno pela sopa de letrinhas. Um escritor precisa escrever quando precisa.



4 Comentários