Inspirada na Tatiana Feltrin resolvi tirar o pó 
dos meus livros de contos e crônicas 
e comentar sobre eles.

O que começa uma crônica romântica termina uma crítica engraçadinha ao ar condicionado do metrô de São Paulo. Depende do ponto de vista, na verdade. Se seu humor estiver problematizando tudo, capaz que você encare com palavras duras e diretas de que o ar é gelado demais para um dia frio, mas se estiver de bom humor, conseguirá rir e até se lembrar de uma situação parecida que aconteceu com você mesmo há um tempo atrás.
A terra da garoa inclusive tem para si um comparativo com Veneza e suas gôndolas, o que eu particularmente acho válido aqui pra cidade quando chove muito forte no shopping. Boatos que fizeram as casinhas dos ônibus num antigo rio que secou. Bom, eu nunca fui em São Paulo, mas insisto em dizer que Uberlândia é um projeto de São Paulo nas questões climáticas (e às vezes no trânsito também).

A crônica aparece no livro "Aquarela", organizado por Helena Gomes e Carla Yanagiura.

Deixe um comentário