Fiquei presa no marasmo do meu quarto com a única vontade de colocar um vestido bonito e sair andando a esmo pelas ruas do bairro. Quem me dera eu tivesse um cachorrinho, ele seria motivo mais que suficiente para dar um volta no quarteirão, mas nada me impede de ir só, apenas na companhia de meus pensamentos. Uma coisa apenas me diz que não: o medo. De andar sozinha e mais uma vez ser abordada com uma arma apontada para minha cabeça, mas dessa vez eu não teria nada comigo, apenas a minha vida e os meus pensamentos em forma de linhas mal traçadas. Enquanto isso fico em torno desse amontoado de casas, pensando que eu poderia estar por aí, mas não posso, que poderia sair para me divertir, e posso, mas todos os desafios que eu teria que encarar, sozinha, nesse fim de domingo me impedem. O ônibus, os motoristas do Uber, não ter um destino por exemplo. E essa é apenas uma parte do quebra-cabeça que é a vida, não importa quantos amigos você tenha, tem horas que você simplesmente quer estar sozinho. Mas não é possível. Não tem nem uma vendinha pra ser chamada de lanchonete, só um monte de bares, e homens, e medo. Totalmente alerta a tudo à minha volta, mas tentando não perder a leveza de acreditar no bem da humanidade, com confiança sim, com medo, ainda um pouco, mas é aquele ditado, "vá com medo", que o resto se ajeita.

2 Comentários

  1. Vontade de viver a vida vx medo, né? e .e eu sei que cheguei assim do nada aqui (vim do blog da Helo <3), e não sou ninguém para dar um conselho, desculpa :c maas já experimentou praticar um esporte? Tipo, uma luta? Acho que seria bem legal
    Eu não pratico nada huasua e entendo esse marasmo que dá (hipocrit 1000) :c mas já pratiquei, e ajuda bastante c: boa sorte e siim continue com leveza, vendo o bem na humanidade <3
    Bjbj
    ~4mor-nuvem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem-vinda <3
      Nunca pratiquei nada mas já tive vontade de fazer de artes marciais à ballet, quem sabe eu procuro um dos dois ^^ obrigada!

      Excluir