Eu estou lendo o livro "O Nome da Rosa" do Umberto Eco e eu só fui saber que o mesmo era cheio de citações em latim alguns dias antes dele chegar pelo correio e já me decepcionar por ser um livrinho gordo de bolso (eu sabia que a edição era de bolso) - não obstante ele é desses livros de bolso feios, de capa sem orelha, folhas brancas, letras miúdas e apertadas. Mas vim para falar das notas de rodapé.

Eu sou uma pessoa que ama notas de rodapé, elas ajudam a compreender alguma passagem do livro, explicam ou dão uma informação importante/interessante que agrega naquela parte da história, porém com "O Nome da Rosa" isso não aconteceu, e eu não faço ideia do motivo. É legal pesquisar as passagens em latim, dá até aquele toque de mistério que combina com a história, mas um livro com a leitura tão fluída merecia ter notas para ajudar o leitor a ler com mais gosto.

Se eu tivesse realmente seguido a indicação do livro da faculdade e ter procurado o filme para assistir ao invés de me aventurar pela leitura, nada disso teria acontecido.

~às notas de rodapé!

Deixe um comentário