O gosto é amargo, nojento, embrulha o estômago, e você nem sempre sabe de onde veio, mas vem que nem um soco bem forte, e fica doendo por muito tempo. É quase bater o dedo em uma quina despercebida, é uma dor que você evita sabendo que vai chegar. mas ao mesmo tempo é uma dor sem fundamento, ninguém te contou a história toda, você só esta vendo fragmentos, e esses fragmentos podem ser qualquer coisa. E o problema são os fragmentos que sozinhos se transformam em coisas que não existem, e são essas coisas que fazem doer. A invenção. a historia mal contada. a mente fraca inventa os caminhos e faz a cicatriz se abrir, se machuca em vão. uma história que você tinha deixado adormecida volta devido a fragmentos jogados no vento, sem intenção nenhuma de machucar. É tudo imaginação. E a imaginação faz questão de doer. 

Respira. não pira. Seja clichê, seja você. Já vai passar, está passando, já passou. 

Não se deixe inventar histórias tristes, faça dos fragmentos sorriso. Erga a cabeça, coloque um vestido e sai girando. Respira. Deixe que a história verdadeira chegue até você se ela quiser chegar. Os monstros vão continuar te assombrando só se você deixar. Respira. Fundo. Olha pro céu. Fecha os olhos. Sente a brisa que traz a chuva? Deixe ela lavar a alma e ignora os fragmentos. Fragmentos são leves demais para ficar para sempre. Fragmentos são os mosquitos chatos que ficam fazendo barulho na hora de dormir. É só ignorar que eles vão embora.

Respira.

Deixe um comentário