Pensa, pensa, pensa.
Acha um jeito de fugir.
Massageia as têmporas como quem massageia o ego. Deixa a escrita fluir.
Essa dor vem de fora, não é de doença,
é de gente.
Dessa gente.
Energia pesada.
Se limpa, bane,
deixa pra lá.
Respira longe pra não se engasgar.
Acorda junto com o Sol e vem sorrindo, não deixa o inverno dos outros virar seu inferno.
Você é sol,
derrete
a
neve,
e isso incomoda.
Não liga. Continua assim.
Nua.
Em flor.
Seja como for.
Seja girassol.

2 Comentários

  1. Aaah que lindo! Aaamo poesias, e essa me tocou. Nada como expulsar uma dor e se sentir mais leve, virar giarssol sempre pro sol, alegre e feliz
    Beijo grande linda, parabens pelo lindo poema. perfeito para uma segunda feira


    http://cariocadointerior.com.br/index.php/2017/11/13/alguem-vai-contar-maria-dinorah/

    ResponderExcluir